terça-feira, outubro 31, 2017

BARREIRAS DE ENTRADA PARA APLICATIVOS



Caro leitor, 

Em janeiro completarei meus 40 anos de idade e gosto de considerar que sou um  "quarentão" bem moderno. Sou um apaixonado por tecnologia da maneira mais ampla que alguém pode imaginar. Pode ser pela influência do meu pai que por ser um exímio técnico em eletrônica sempre que pôde, trouxe muita tecnologia para nossa casa. Desde os meus 10 anos de idade tenho contato com computadores (apesar de ser um teclado ligado à TV), aparelhos telefônicos sem fio e afins. Lembro que meu pai um dia apareceu em casa com um aparelho celular da Gradiente. (quem se lembra deste aparelho?). 

Quase 30 anos depois do meu primeiro PC, o mundo está muito mais rápido e dinâmico. O telefone se tornou um computador infinitamente superior ao primeiro "286" que tivemos com monitor monocromático. Você desenvolve muito mais funções por ele do que por um notebook, por exemplo. 

E estas funções extras podem ser desenvolvidas graças aos conhecidíssimo aplicativos para smartphones que fazem praticamente de tudo. E quando procuramos uma app (apelido para aplicativo) para qualquer função, temos inúmeras opções disponíveis oriundos de "N" desenvolvedores. 

Este vasto universo de aplicativos despejados no mercado estão deixando de ser ferramentas para facilitar a vida dos usuários e se transformando em opções indesejadas. Os smartphones estão repletos de aplicativos de tal maneira que se tirar 10 fotos com seu telefone a memória do aparelho fica totalmente tomada. Aí que começam os problemas para quem quer desenvolver o próprio aplicativo. 

Existem aplicativos demais que desenvolvem as mesmas funções e acabam tendo uma fraca adesão por dividir demais as fatias de mercado. E os pioneiros são os únicos com grande volume de download's. Se você quiser entender melhor o que quero dizer segue um exemplo prático: Hoje você possui no seu aparelho celular o whatsapp ou o Telegram? E se eu te disser que o telegram é infinitamente mais rápido, possui muito mais recursos e é mais leve do que o Whatsapp? Você trocaria? Sabe porque não? O Whatsapp chegou primeiro oferecendo algo novo para o mercado. Algo que não existia e os outros vieram atrás. 

O mesmo acontece com aplicativos de vendas, market paleces, comunicação, de gestão financeira, fidelização de clientes e muito mais. Em outras palavras, antes de pensar em gastar de 12 a 20 mil reais em média para desenvolver um aplicativo, tente ter o máximo de informações e se irá trazer usuários, que será atraente e motivará as pessoas baixarem o app. 

O maior barreira de entrada para quem desenvolve um novo aplicativo é convencer as pessoas de baixá-lo. Pois muitas vezes demandará a necessidade das pessoas abrirem mão de algo em seu telefone para "caber" o novo software. E muitas pessoas não estão voltados a ter este trabalho. 

Então a nossa dica é: contrate uma empresa de consultoria em marketing para poder ajudar com análise de mercado e comportamento humano para evitar um investimento muito alto para uma adesão mínima necessária que compensará o esforço, tempo e dinheiro gasto para desenvolver e colocar no mercado. 

Lembre-se que existem empresas especializadas tanto na produção de novos aplicativos, quanto as que poderão te dizer se deve ou não investir este dinheiro..

Espero ter conseguido esclarecer um pouco sobre este mercado novo e em acensão. 

Abraço.

Um comentário:

Catia Rodrigues disse...

Maravilhoso texto, condiz muito com as barreiras virtuais que vivemos no nosso dia a dia.Tem facilidade, mas impõe obstáculos imaginários.